Métodos de enseñanza y aprendizaje: efectos en la práctica docente en el perfectivo de los profesores en un programa de posgradostricto sensu

Palabras clave: métodos de enseñanza, métodos de aprendizaje, práctica docente, Análisis textual discursivo

Resumen

El objetivo era identificar las posibles relaciones entre los métodos de enseñanza y aprendizaje y la práctica docente, desde la perspectiva de los maestros de primer año en un Programa de Posgrado en Ciencias y Matemáticas. La investigación tiene un enfoque cualitativo, con la siguiente pregunta orientadora: ¿qué entienden los maestros sobre los métodos de enseñanza y aprendizaje y sus efectos en la práctica docente? Once docentes con formación inicial participaron en diferentes cursos de pregrado. Para la recolección de datos, se utilizó un cuestionario que abordaba la práctica docente y los métodos de enseñanza y aprendizaje. Las declaraciones fueron analizadas a través del análisis textual discursivo. Se obtuvieron 109 unidades de significado, que se agruparon por similitud en 95 categorías iniciales, 23 categorías intermedias y tres categorías finales, como sigue: i) comprensión de los métodos de enseñanza y aprendizaje; ii) efectos del uso de métodos en la práctica docente; y iii) obstáculos para el uso de métodos. Los resultados demuestran que la comprensión de los métodos por parte de los docentes se centra en la figura del docente. Además, se ha descubierto que existen obstáculos que pueden impedir el uso de métodos dentro del entorno escolar. Finalmente se verificó la orientación de las clases hacia la enseñanza tradicional, sin embargo los docentes sostienen que la diversidad de métodos utilizados en el aula.

 

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Citas

Amaral, I.B; Lima, V.M.R. A educação pela pesquisa, o questionamento e a crítica: propostas viáveis para ensinar e aprender. Revista Acta Scientiae, Canoas v. 13 n.1 p.140-157 jan./jun. 2011.

Araújo, E. C. D. de; Troleis, A. L. Recursos didáticos, formação inicial docente e o processo de ensino e aprendizagem no Pibid geografia UFRN. Confins, França, n. 25, p.1-15, 4 nov. 2015. Disponível em: https://journals.openedition.org/confins/10605? lang=pt#quotation. Acesso em: 02 jul. 2019.

Becker, F. Para uma pedagogia da ação e a Educação 3.0. In: CARVALHO, M. (org.) et al. Educação 3.0: Novas perspectivas para o ensino. Porto Alegre: Unisinos, 2017, p. 25-45.

Brasil. LDB: Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. – 9. ed. – Brasília: Câmara dos Deputados, Edições Câmara, 2014.

Brasil. Base Nacional Comum Curricular: Educação é a Base. Brasília: Conselho Nacional de Educação, 2017, 472 p. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/content/uploads/2018/06/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf>. Acesso em: 21 maio 2019.

Coll, C. Psicologia e Currículo: uma aproximação psicopedagógica à elaboração do currículo escolar. 5 ed. São Paulo: Editora Ática, 2002.

Flick, U..Introdução à Pesquisa Qualitativa. 3. ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 2009, 405 p, Tradução de: José Elias Costa.

Foucault, M..Vigiar e punir: nascimento da prisão. Rio de Janeiro: Vozes, 2009.

Freire, P. Carta de Paulo Freire aos Professores. Estudos avançados, São Paulo, v. 15, n. 42, p. 259-268, maio/ago. 2001. Disponível em: http://www.scielo.br/ scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142001000200013. Acesso em: 21 de maio de 2019.

Freire, P. Cartas a Cristina: reflexões sobre minha vida e minha práxis. 2ª ed., São Paulo: UNESP, 2003.

Freire, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 25 ed., São Paulo: Paz&Terra, 2002, Coleção Leitura.

Gomes, E. Ensino e aprendizagem de cálculo na engenharia: um mapeamento das publicações nos COBENGEs. In: Encontro Brasileiro de Estudantes de Pós-graduação em Educação Matemática, 16, Canoas. Anais. Canoas: ULBRA, 2012.

Harres, J. B. S et al. Constituição e prática de professores inovadores: um estudo de caso. Ensaio - Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v-20, p. 1-21, 2018.

Iturra, R. O Processo educativo: ensino ou aprendizagem? Educação, Sociedade & Cultura, n.1, p.20-50, 2008. Disponível em: https://repositorio.iscte-iul. pt/bitstream/10071/1516/1/O%20Processo%20Educativo.pdf. Acesso em: 21 de maio de 2019.

Jupiassu, H.O espírito interdisciplinar. Caderno EBAPE. BR São Paulo, vol. IV, n. 3, Out., 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbef/v24n2/a14v24n2.pdf. Acesso em 06/07/2019.

Luckesi, C. C. Filosofia da educação. São Paulo: Cortez, 1994.

Mizukami, Maria da Graça Nicoletti. Ensino: as abordagens do processo. São Paulo: EPU, 1986.

Moraes, Roque; Galiazzi, Maria do Carmo. Análise Textual Discursiva. Ijuí: Unijuí, 2007.

Oliveira, J. D; Madruga, Z. E. DE F. Mapeamento de produções brasileiras sobre o uso da Modelagem Matemática no ensino de Cálculo Diferencial e Integral. Revista Docência do Ensino Superior, v. 8, n. 2, p. 211-227, 10 dez. 2018.

Oliveira, S. L. Tratado de metodologia científica: projetos de pesquisa, TGI, TCC, monografias, dissertações e teses. São Paulo: Pioneira, 1997.

Passarelli, B. Qual é o Zeitgeist dessa nova geração de alunos? In: TORI, R. Educação sem distância: As tecnologias interativas na redução de distâncias em ensino e aprendizagem. 2 ed., São Paulo: Artesanato Educacional, 2017, p.7-13.

Prodanov, C. C.; Freitas, E. C. Metodologia do Trabalho Científico: Métodos e Técnicas da Pesquisa e do Trabalho Acadêmico. 2 ed. Novo Hamburgo: Universidade FEVALE, 2013.

Resende, G. Mesquita, M. G. B. F. Principais dificuldades percebidas no processo ensino-aprendizagem de Matemática em escolas do município de Divinópolis (MG). Revista Educação Matemática Pesquisa, v.15, n.1. 2013.

Rocha, A. C. F. A Matemática como instrumental no currículo de cursos técnicos: um estudo de caso no CEFET-MG. Belo Horizonte: Dissertação (Mestrado em Tecnologia) Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais. 2003.

Santos, A. Didática sob a ótica do pensamento complexo. 2 ed. Porto Alegre: Sulina, 2010.

Souza, S. E. de S. Uso de recursos didáticos no ensino escolar. In: I Encontro de Pesquisa em Educação, IV Jornada de Prática de Ensino, XIII Semana de Pedagogia da UEM: “Infância e Práticas Educativas”. 2007. Disponível em: http://www.dma.ufv.br/ downloads/MAT%20103/2015-II/slides/Rec%20Didaticos%20-%20MAT%20103%20-%202015-I I.pdf. Acesso em: 02 de julho de 2019.

Trujillo, A. Metodologia da ciência. 2.ed. Rio de Janeiro: Kennedy, 1974.

Unesco. Educação para a cidadania global: preparando alunos para os desafios do século XXI.Brasília: UNESCO, 2015, 44 p. Disponível em: <http://unesdoc.unesco.org/images/0023/002343/234311por.pdf>. Acesso em: 21 de maio de 2019.

Vasconcellos, C. dos S. Planejamento: projeto de ensino-aprendizagem e projeto político-pedagógico. 18 ed. São Paulo: Libertad Editora, 2008.

Veiga, I. P. A. Dimensões do processo didático na ação docente. In: ROMANOWSKI, J. P.; MARTINS, P. L. O.; JUNQUEIRA, S. R. A. (Org.). Conhecimento local e conhecimento universal: pesquisa, didática e ação docente. Curitiba: Champagnat, 2004. p. 13-30.

Yin, R. K. Estudo de caso: Planejamento e métodos. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

Zanella, L. C. H. Metodologia de pesquisa. 2. ed. Florianópolis: Departamento de Ciências da Administração/UFSC, 2011.

Zanetic, J. Física e Arte: uma ponte entre duas culturas. Proposições, Campinas, v. 17, n. 1, p. 39-58, 2006

Publicado
2020-07-30
Cómo citar
Lorenzi Filho, L. A., Alves Gonçalves, T., Dantas Oliveira, J., & Amaral-Rosa, M. (2020). Métodos de enseñanza y aprendizaje: efectos en la práctica docente en el perfectivo de los profesores en un programa de posgradostricto sensu. Revista Electrónica De Investigación Y Docencia (REID), (24), 47-61. https://doi.org/10.17561/reid.n24.3
Sección
Artículos