A Influencia familiar en la elección de carrera: un análisis del genoprofisiograma de profesores de unipampa

  • Carolina Freddo Fleck Universidade Federal do Pampa
Palabras clave: carrera docente, genoprofissiograma, Elección profesional, familia

Resumen

Esta investigación tuvo por objetivo analizar la influencia que el árbol genealógico profesional tiene en la elección de la carrera de docentes de la Universidad Federal del Pampa, en el campus de Santana do Livramento. Se optó a analizar a los educadores como una forma de reconocer la importancia que poseen, pues se hacen indispensables en la construcción del saber. A través de la elaboración del genoprofisiograma, con ayuda de entrevistas semiestructuradas, fue posible observar el recorrido profesional realizado por los individuos a partir de preferencias durante la infancia y adolescencia, opciones de curso universitario, finalizando con la elección efectiva de la carrera de docente. Identificando qué miembros de la familia se mostraron más relevantes durante este período y trayendo una reflexión acerca de este proceso.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Citas

Aguiar, Wanda Maria Junqueira de (2006). A escolha na orientação profissional: contribuições da psicologia sócio-histórica. Psicologia da Educação, 23, 11-25. Recuperado de http://pepsic.bvsalud.org/pdf/psie/n23/v23a02.pdf.

Almeida, F. H., e Melo-Silva, L. L. (2011). Influência dos pais no processo de escolha profissional dos filhos: uma revisão da literatura. Psico-USF, 16(1), 75-85. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-82712011000100009.

Almeida, P. C. A., Tartuce, G. L B. P., e Nunes, M. M. (2010). Alunos do Ensino Médio e atratividade da carreira docente no Brasil. Cadernos de Pesquisa, 40(140), 445-477. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-15742010000200008.

Bardin, L. (1977). Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70.

Boni, V., e Quaresma, S. J. (2005). Aprendendo a entrevistar: como fazer entrevistas em Ciências Sociais. Em Tese, 2(3), 68-80. https://doi.org/10.5007/%25x.

Bueno, R. F. F (2013). Sistematização de um processo de consultoria de carreira do ponto de vista sistêmico: adaptação de instrumentos. São Paulo: PUC.

Creswell, J. (2014). Investigação qualitativa e projeto de pesquisa: escolhendo entre cinco abordagens. 3ª ed. Porto Alegre: Penso.

Deimling, N. N. M., e Reali, A. M. M. R. (2017). O programa institucional de bolsa de iniciação à docência, as escolhas profissionais e as condições de trabalho docente. Educação em Revista, 33(3, e143999), 1-24. ttp://dx.doi.org/10.1590/0102-4698143999.

Fanfani, E. T. (2005). La condición docente. Buenos Aires: Siglo Veintiuno Editores.

Filomeno, K. (2003). Mitos familiares e escolha profissional: uma proposta de intervenção focada na escolha profissional à luz de conceitos da teoria sistêmica (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

Freire, P. (2000). Pedagogia da indignação: cartas pedagógicas e outros escritos. São Paulo: Editora UNESP.

Freitas, P. M. L., e Barbosa, T. P. (2006). A escolha profissional e a influência da família. Revista Uningá, 10(1), 135-142. Recuperado de http://revista.uninga.br/index.php/uninga/article/view/525.

Gatti, B. A. (2012). Reconhecimento social e as políticas de carreira docente na Educação Básica. Cadernos de Pesquisa, 42(145), 88-111. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-15742012000100007.

Gerhardt, T. E., e Silveira, D. T. (Org). (2009). Métodos de Pesquisa. Porto Alegre: Editora da UFRGS.

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa. 4ª ed. São Paulo: Atlas.

Krom, M. (2000). Família e mitos, prevenção e terapia: resgatando histórias. São Paulo: Summus.

Lakatos, E. M. e Marconi, M. A. (1999). Técnicas de Pesquisa. 4ª ed. São Paulo. Atlas S A.

Luft, H. M., Boaventura, J. M., e Colombo, S. C. S. (2015). Escolha profissional na adolescência: aspectos a considerar. In Lassance, M. C. P. Levenfus, R. S., e Melo-Silva, L. L (Org.). Orientação de carreira: investigação e práticas (pp. 17-28). Porto Alegre: Associação Brasileira de Orientação Profissional.

Minayo, M. C. (2002). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Petrópolis, Vozes.

Neuburger, R. (1999). O mito familiar. Tradução de S. Rangel. São Paulo: Summus.

Nogueira, C. M. M. (2004). Dilemas na análise sociológica de um momento crucial das trajetórias escolares: o processo de escolha do curso superior (Tese de Doutorado). Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.

Nogueira, C. M. M., Almeida, F, J., e Queiroz, K. A. S. (2011). A escolha da carreira docente: complexificando a abordagem sociológica. Vertentes, 19(1), 1-20. Recuperado de https://ufsj.edu.br/vertentes/edicao_v._19_n._1.php.

Paccola, M. K. (1994). Leitura e diferenciação do mito. São Paulo: Summus.

Pinto, José Marcelino Rezende. (2009). Remuneração adequada do professor: desafio à educação brasileira. Revista Retratos da Escola, 3(4), 51-67. Recuperado de https://www.cnte.org.br/images/stories/2012/revista_retratosdaescola_04_2009_remuneracao_adequada.pdf.

Raupp, F. M., e Beuren, I. M. (2006). Metodologia da pesquisa aplicável às Ciências Sociais. In Beuren, I. M. (Org.). Como elaborar trabalhos monográficos em Contabilidade: teoria e prática (pp. 76-97). 3ª ed. São Paulo: Atlas.

Santos, L. M. M. (2005). O papel da família e dos pares na escolha profissional. Maringá: Psicologia em Estudo.

Schoen-Ferreira, T. H., Aznar-Farias, M., e Silvares, E. F. M. (2003). A construção da identidade em adolescente: um estudo exploratório. Estudos da Psicologia, 8(1) 107-15. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-294X2003000100012.

Soares, D. H. P. (2002). A escolha profissional do jovem ao adulto. São Paulo: Summus.

Thompson, J. B. (2011). Ideologia e cultura moderna: teoria social crítica na era dos meios de comunicação de massa. 9ª ed. Petrópolis: Vozes.

Tonn, C. F., Geremia, H. C., e Schweitzer, L. (2015). Maturidade para escolha profissional e expectativas de alunos de cursos técnicos do PRONATEC. In Lassance, M. C. P., Levenfus, R. S., e Melo-Silva, L. L (Org.). Orientação de carreira: investigação e práticas (pp. 89-101). Porto Alegre: Associação Brasileira de Orientação Profissional.

Valle, I. R. (2006). Carreira do magistério: uma escolha profissional deliberada? Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, 87, 178-187. https://doi.org/10.24109/2176-6681.rbep.87i216.792.

Veriguine. N. R., Krawulski, E., D´Avila, G. T., e Soares, D. H. P. (2010). Da formação superior ao mercado de trabalho: percepções de alunos sobre a disciplina Orientação e Planejamento de Carreira em uma universidade federal. Revista Electrónica de Investigación y Docencia (REID), 4, 79-96., 79-96. Recuperado de https://revistaselectronicas.ujaen.es/index.php/reid/issue/view/88.

Publicado
2020-02-04
Cómo citar
Freddo Fleck, C. (2020). A Influencia familiar en la elección de carrera: un análisis del genoprofisiograma de profesores de unipampa. Revista Electrónica De Investigación Y Docencia (REID), (23), 25-45. https://doi.org/10.17561/10.17561/reid.n23.2
Sección
Artículos