Intervenciones sobre el río Pinheiros y la incorporación del espacio urbano en las primeras décadas del siglo XX: el caso de la región de Brooklin en ciudad de São Paulo

  • Fábio Alexandre dos Santos Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).
Palabras clave: Sao Paulo, Río Pinheiros, Espacio urbano

Resumen

Mediante la revisión de la literatura y análisis de fuentes primarias, este artículo discute el proceso de incorporación del suelo urbano en el suroeste de la ciudad de São Paulo, en las primeras décadas del siglo XX, a partir de la acción de la São Paulo Light, Trawmay & Power Company Limited sobre el río Pinheiros, que dio lugar a la incorporación, por la empresa, de una extensa franja de tierra en la región.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Fábio Alexandre dos Santos, Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).
graduado em Ciências Sociais pela Unesp-Araraquara (1996), com Mestrado em História Econômica (2000) e Doutorado em Economia Aplicada-História Econômica (2006), ambos pelo Instituto de Economia da Unicamp. É Professor Adjunto da Escola Paulista de Política, Economia e Negócios (EPPEN), da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), campus Osasco. Pesquisa temas ligados à História Econômica e História Ambiental, com especial atenção à temática das águas e das enchentes na cidade de São Paulo. Publicou as seguintes obras: Domando Águas. Salubridade e ocupação do espaço na cidade de São Paulo, 1875-1930, pela Alameda/ Fapesp; e Rio Claro: uma cidade em transformação, 1850-1906, pela Annablume/ Fapesp

Citas

Ab’Sáber, A. N. 2007: Geomorfologia do sítio urbano de São Paulo. Cotia, Ateliê Editorial, edição fac-similar.

Bartalini, V. 2006: “A trama capilar das águas na visão cotidiana da paisagem”, Revista USP. São Paulo, 70, 88-97. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i70p88-97.

Berman, M. 1986: Tudo o que é sólido desmancha no ar. A aventura da modernidade. Trad., São Paulo, Cia. das Letras.

Blanes, L. 2006: “Análise dos biótipos da bacia hidrográfica do córrego Águas Espraiadas–São Paulo”, Dissertação de Mestrado, FFLCH-USP, São Paulo.

Bonduki, N. G. 1982: “Origens do problema da habitação popular em São Paulo: primeiros estudos”, Espaço e Debates, 2(5), 711-732.

Borba, M. L. G. 2014: “O técnico-científico e o sociopolítico na gestão na gestão da água urbana: drenagem e manejo de água pluviais no Município de São Paulo”, Tese de Doutoramento, IEE-USP, São Paulo.

Câmara dos Deputados do Estado de São Paulo. 1927: Projecto de Lei nº 74 de 1927 que concede favores à The São Paulo Tramway Light and Power Company Limited.

Câmara Municipal de São Paulo. 1963: 133ª Sessão especial realizada em 7 de maio de 1963. Relatório da Comissão Especial para estudo das enchentes do rio Tietê e seus afluentes. São Paulo, imprensa Oficial do Estado.

Cano, W. 1998: Raízes da concentração industrial de São Paulo. 4ª ed., Campinas, IE-UNICAMP.

Diniz, R. y Ferrari, S. M. 1993: “Usina de Rasgão”, Memória, 5(19).

Douglas, M. 1991: Pureza e perigo. Ensaio sobre as noções de poluição e tabu. Trad., Lisboa: Edições 70.

Elias, N. 1994: O processo civilizador. Uma história dos costumes. Trad., Rio de Janeiro, Jorge Zahar.

Ferla, L. et al. 2014: “A enchente de 1929 na cidade de São Paulo: memória, história e novas abordagens de pesquisa”, Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro, 8, 149-166.

Figueiredo, M. J. C. R. de. 2009: “Córregos ocultos. Redescobrindo a cidade”, Trabalho de Conclusão de Curso, FAU-USP, São Paulo.

Fix, M. 2001: Parceiros da exclusão. Duas histórias da construção de uma “nova cidade” em São Paulo: Faria Lima e Água Espraiada. São Paulo, Boitempo.

Harvey, D. 2005: A produção capitalista do espaço. Trad., São Paulo, Annablume.

Hobsbawm, E. 1998: A era dos Impérios (1875-1914). Trad., 5ª ed., São Paulo, Paz e Terra.

IBGE (Instituto de Brasileiro de Geografia e Estatística) 1951: Sinopse estatística do Município de São Paulo. Rio de Janeiro, Serviço Gráfico do Instituto de Brasileiro de Geografia e Estatística.

Kowarick, L. y Ant, C. 1982: “Cortiço: cem anos de promiscuidade”, Novos Estudos Cebrap, 1(2), 59-70.

Lênin, V. 1984: “O Imperialismo, Fase Superior do Capitalismo”. In: Obras Escolhidas em seis tomos de V. I. Lénine. Lisboa, Edições Progresso, Disponível em: http://www.marxists.org/portugues/lenin/1916/imperialismo/. Consulta realizada el 18 de septiembre de 2014.

Maffey, R. 1995: “A Light e o controle das enchentes”, História & Energia, 5, 72-85.

Martinez, P. H. 2006: História ambiental no Brasil. Pesquisa e ensino. São Paulo, Cortez.

McDowall, D. 2008: Light. A história da empresa que modernizou o Brasil. Trad., Rio de Janeiro, Ediuro.

Moraes, A. C. R. 2011: Geografia histórica do Brasil. Capitalismo, território e periferia. São Paulo, Annablume.

Oliveira, C. A. B. de. 1985: “O processo de industrialização: do capitalismo originário ao atrasado”, Tese de doutoramento, IE, Unicamp, Campinas.

Ostrowsky, M. de S. B. 1989: ·“Urbanização e controle de enchentes. O caso de São Paulo: seus conflitos e inter-relações”, Dissertação de Mestrado, Poli-USP, São Paulo.

Pádua, J. A. 2010: “As bases teóricas da história ambiental”, en Estudos Avançados, 24(68), 81-108. https://doi.org/10.1590/S0103-40142010000100009.

Paschkes, M. L. N. de A. 1986: “Bondes, terrenos e especulação”, História & Energia, 1, 41-45.

Petição enviada à Câmara Estadual pela The São Paulo, Tramway, Light and Power Company Limited em 9 de novembro de 1927.

Pinheiro, H. de S. 1942: “Higiene da habitação: higiene do terreno, insolação, ventilação, isolamento térmico”, Boletim da Repartição de Águas e Esgotos, 5(13), 109-119.

Rolnik, R. 1983: “De como São Paulo virou a capital do capital”, en Valladares, L. do (org.): Repensando a habitação no Brasil. Rio de Janeiro, Zahar.

Rolnik, R. 2003: A cidade e a lei: legislação, política urbana e territórios na cidade de São Paulo. 3ª ed., São Paulo, Studio Nobel/FAPESP.

Saes, A. M. 2010: Conflitos do capital. Light versus CBEE na formação do capitalismo brasileiro (1898-1927). Bauru, EDUSC/FAPESP.

Saes, F. A. M. de y Szmrecsányi, T. 1995: “El papel de los bancos extrangeiros em la industrialización inicial de São Paulo”, en Marichal, C. (coord.): Las inversiones extranjeras en América Latina, 1850-1930. Nuevos debates y problemas en historia económica comparada. México, Fondo de Cultura Económica.

Santos, F. A. dos 2011: Domando águas. Salubridade e ocupação do espaço na cidade de São Paulo (1875-1930). São Paulo, Alameda/FAPESP.

Santos, F. A. dos 2015: “As inundações na região central da cidade de São Paulo: dinâmicas e significações (1850-1922)”, en Jorge, J. (Org.): Cidades paulistas. Estudos de história ambiental urbana. São Paulo, Alameda/FAPESP.

Santos, M. 1994: A urbanização brasileira. 4ª ed., São Paulo, Hucitec.

Seabra, O. C. de L. 1988: “Os meandros dos rios nos meandros do poder. Tietê e Pinheiros. Valorização dos rios e das várzeas na cidade de São Paulo”, Tese de Doutoramento, FFLCH/USP, São Paulo.

Senado do Estado de São Paulo. 1927: Projecto de Lei nº 74 de 1927 que concede favores à The São Paulo Tramway Light and Power Company Limit.

Sevcenko, N. 1992: Orfeu extático da metrópole. São Paulo, sociedade e cultura nos frementes anos 20. São Paulo, Cia. das Letras.

Worsten, D. 1991: “Para fazer história ambiental”, Estudos Históricos, 4(8), 198-215.

Publicado
2018-04-30
Cómo citar
Santos, F. A. dos. (2018). Intervenciones sobre el río Pinheiros y la incorporación del espacio urbano en las primeras décadas del siglo XX: el caso de la región de Brooklin en ciudad de São Paulo. Agua Y Territorio, (11), 44-57. https://doi.org/10.17561/at.11.2953