En tiempos de pandemia: un enfoque nutricional para aumentar la inmunidad

  • Leonice Da Silva Santos Universidade Autônoma de Asunción-UAA

Resumen

Este artigo tem como objetivo fazer verificação de forma descritiva em estudos fundamentados na literatura de autores e vídeos que pesquisam sobre alimentos que aumentam a imunidade, a metodologia aplicada foi a averiguação de bibliografia e vídeos explicativos sobre o tema, com o intuito de fazer um levantamento dos alimentos campeões em elevar a resposta imunológica dos indivíduos, como resultados o estudo constatou que uma alimentação bem equilibrada exerce importância fundamental para a saúde do corpo e da mente, atuando como prevenção e tratamento de enfermidades, os estudos evidenciam que as boas práticas nutricionais são fortes aliadas na prevenção de patologias e na qualidade de vida dos indivíduos como um todo conclusões o estudo demonstrou de forma evidente a relevância dos nutrientes para o normal funcionamento do metabolismo do corpo, além de várias outras funções que eles desempenham, seja de natureza física ou psíquica, são nutrientes imprescindíveis, cada um com sua atribuição particular e relevância. Portanto, a forma primordial para melhorar a saúde da população é por meio de um direcionamento nutricional divulgada nos mais diversos meios de comunicação e mídias sociais, de modo que, alcance os mais diferentes níveis sociais, credo e faixa etária da população em geral.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Leonice Da Silva Santos, Universidade Autônoma de Asunción-UAA

Universidade Autônoma de Asunción-UAA (mestranda)
SEDUC/PA

Citas

Audera, C., et al. (2001). Mega-dose vitamin C in treatment of the common cold: a randomised controlled trial. Med. J. 2001 Oct 1;175(7):359-62. Retrieved from: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/11700812, https://doi.org/10.5694/j.1326-5377.2001.tb143618.x

Batista, F.B., Pinho, L., Silveira, M.F., & Botelho, A.C.D.C. (2015). Fatores associados a doenças crônicas em idosos atendidos pela Estratégia de Saúde da Família. Ciência & Saúde Coletiva, 20, 2489-2498. https://doi.org/10.1590/1413-81232015208.11742014

Brodin, P., Jojic, V., & Gao, T., Bhattacharya, S., Angel, C. J. L., Furman, D., ... & Maecker, H. T. (2015). Variation in the human immune system is largely driven by non-heritable influences. Cell, 160 (1-2), 37-47. https://doi.org/10.1016/j.cell.2014.12.020

Gredel, D., Kramer, M., & Bend, B. (2012). Patent-based investment funds as innovation intermediaries for SMEs: In-depth analysis of reciprocal interactions, motives and fallacies. Technovation, 32(9-10), 536-549. https://doi.org/10.1016/j.technovation.2011.09.008

Katona, P., & Katona Apte, J. (2008). The interaction between nutrition and infection. Clinical Infectious Diseases, 46(10), 1582-1588. https://doi.org/10.1086/587658

Leite, H.P., & Sarni, R.S. (2003). Radicais livres, antioxidantes e nutrição. Rev Bras Nutr Clin, 18(2), 87-94.

Pereira, J.M. (2012). Diabetes: Factos e Números. 2011− Relatório Anual do Observatório Nacional da Diabetes. Lisboa: Sociedade Portuguesa de Diabetologia.

Raizel, R., Santini, E., Kopper, A.M., & Reis Filho, A.D. (2011). Efeitos do consumo de probióticos, prebióticos e simbióticos para o organismo humano. Revista Ciência & Saúde, 4(2), 66-74.

Silva, C.R.M., & Naves, M.M.V. (2001). Vitamin Supplementation in cancer prevention. Rev. Nutr., Campinas, 14(2): 135-143, maio/ago., 2001. Retrieved from: http://www.scielo.br/pdf/rn/v14n2/7562.pdf, https://doi.org/10.1590/S1415-52732001000200007

Tardido, A.P., & Falcao, M.C. (2006). The impact of the modernization in the nutritional transition and obesity. Rev Bras Nutr Clin, 21(2), 117-24.

Publicado
2020-12-04
Cómo citar
Da Silva Santos, L. (2020). En tiempos de pandemia: un enfoque nutricional para aumentar la inmunidad. Revista Internacional De Apoyo a La inclusión, Logopedia, Sociedad Y Multiculturalidad, 6(3), 1-10. https://doi.org/10.17561/riai.v6.n3.1
Sección
Artículos de investigación