Parque estadual mãe bonifácia: um espaço não formal que a cidade de cuiabá oferece para o ensino de ciências

  • ELISANGELA DIAS BRUGNERA

Resumen

Este estudo tras o resultado de atividades didáticas para o ensino de ciências e matemática realizadas no parque Estadual Mãe Bonifácia no município de Cuiabá, atividades essas em espaço não formal da disciplina de Fundamentos, Tendências Pedagógicas Metodológicas para o Ensino de Ciências e Matemática, programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática da (REAMEC), polo da (UFMT). Buscou-se por meio de observações, investigar os recursos disponíveis e explorar suas potencialidades de servirem como temas para abordagens de conteúdos relacionados ao ensino de ciências e matemática. O parque demonstrou ser um ambiente muito rico que permite no âmbito das ciências naturais, abordar assuntos relacionados a matemática, biologia, química, física, histórica, geografia entre outros. Portanto, Caracteriza-se num espaço não formal de aprendizagem que derruba as barreiras da sala de aula, permitindo uma interação do indivíduo com o local, levando aprendizagem numa perspectiva construtivista de apropriação do conhecimento científico.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Citas

Cuiabá. Parque Mãe Bonifácia. (2016). In: www.conhecendomt.com.br.

Delors, J. (1998). Educação; um tesouro a descobrir. São Paulo: Cortez.

Dowbor, L. (1998). A reprodução social. São Paulo: Vozes.

Elias, D. C. N., Amaral, L. H., Araújo, M. S. T. (2015). Criação de um espaço de aprendizagem significativa no planetário do parque Ibirapuera.

Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências. In: www.fae.ufmg.br.

Fleuri, R. M., Costa, M. V. (2005). Travessia: questões e perspectivas emergentes na pesquisa em educação popular. Ijuí: Unijuí.

Freire, P. (1996). Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra.

Gadotti, M. (2000). Perspectivas atuais da educação. Porto Alegre: Ed. Artes Médicas.

Giddens, A. (1978). Novas regras do método sociológico. Rio de Janeiro: Zahar.

Gil, A. C. (2008). Método e Técnicas de Pesquisa Social. São Paulo: Atlas.

Gohn, M. G. (2010). Educação não-formal e educador social: Atuação no desenvolvimento de projetos sociais. São Paulo: Cortez.

Gohn, M. G. (2005). O protagonismo da sociedade civil: movimentos sociais, ONGs e redes solidarias. São Paulo: Cortez.

Gohn, M. G. (2005). Educação não-formal e cultura política. 3. ed. São Paulo: Cortez.

Gadotti. M. (2005). A questão da educação folmal/não-formal. Institut International des Droits de L’Enfant (IDE) Droit à l’éducation: solution à tous les problèmes ou problème sans solution? Sion: Suisse.

Cómo citar
DIAS BRUGNERA, E. (1). Parque estadual mãe bonifácia: um espaço não formal que a cidade de cuiabá oferece para o ensino de ciências. Revista Internacional De Apoyo a La inclusión, Logopedia, Sociedad Y Multiculturalidad, 2(4). Recuperado a partir de https://revistaselectronicas.ujaen.es/index.php/riai/article/view/4242